Trabalha com contrato CLT? Conheça as vantagens e desvantagens

Você que trabalha sob o regime CLT, mas não sabe se fez boa escolha, saiba que tudo tem sua vantagem e desvantagem. Afinal, em meio a crise econômica dos últimos anos e o crescente número de desempregados, as desvantagens em trabalhar sob contrato CLT podem não ser tão ruins assim, não é:

Por isso, vamos destacar o lado bom e o lado ruim de ter um contrato CLT firmado. Será que vale a pena ou é melhor partir para um trabalho autônomo? Vamos descobrir!

O que é trabalho com CLT?

Primeiro é importante saber o que diferencia o trabalhador com CLT – Consolidações das Leis Trabalhistas – daqueles que são autônomos.

  • Com CLT – Um empregado de alguma empresa passa a ter vínculo empregatício, prestando serviços de forma individual, de caráter fixo e não esporádico. Ele tem a carteira assinada sob o regime CLT, garantindo, assim, diversos benefícios.
  • Autônomo ou Pessoa Jurídica – Aquele que trabalha por conta própria, tendo um CNPJ e obtendo maiores ganhos, além de fazer seus próprios horários. No entanto, não goza dos mesmos direitos de quem trabalha com contrato CLT.

Vantagens e desvantagens de trabalhar com CLT

As Consolidações das Leis Trabalhistas é o conjunto que rege o empregado para que ele possa trabalhar sob um regime regular, para determinado empregador e mediante salário. Quem trabalha com CLT também é chamado de assalariado.

E, como assalariado, os benefícios garantidos pela CLT são muitos. Portanto, você verá logo abaixo como esse tipo de regime trabalhista pode ser vantajoso.

Vantagens

  • Férias de 30 dias por ano;
  • Pagamento de salário garantido;
  • 13º salário;
  • Licença maternidade ou paternidade;
  • Aviso prévio em caso de demissão sem justa causa;
  • Direito ao seguro desemprego;
  • Direito ao PIS/PASEP (setor privado/público);
  • Recebimento por horas extras trabalhadas;
  • Folga em casos de casamento, alistamento militar ou morte de um parente próximo.

O PIS – Programa de Integração Social – é um programa que ajuda na distribuição de renda por meio de benefícios, como o seguro desemprego e o FGTS. O funcionário precisa estar atento Às datas do PIS 2020, que é liberado pela Caixa Econômica Federal.

Desvantagens

  • Jornada de 40 horas semanais;
  • Regras da empresa (como usar vestimenta adequada e ser pontual);
  • Deslocamento até o local de trabalho;
  • Impostos tributários no salário que podem chegar a quase 30%.

Para quem não gosta de seguir regras, sair de casa muito cedo para não chegar atrasado, e não acha interessante perder parte do salário para os tributos, trabalhar com CLT será um grande problema.

Mas, por outro lado, se você achou as desvantagens bem pequenas perto dos benefícios, então você está trabalhando sob o regime certo.

Entenda as justificativas para o FIM do seguro DPVAT

O seguro DPVAT representa uma das maiores medidas de segurança para os motoristas, passageiros e pedestres e por isso, a sua extinção tem gerado bastante discussão entre os brasileiros. Mas o que poderia estar justificando o fim do seguro obrigatório? Leia o texto a seguir e fique por dentro:

O seguro para Danos Pessoais por Veículos Automotores Terrestres é um dos recurso mais importantes para o motorista brasileiro, pois é responsável por gerar indenização em caso de acidente por uma contribuição mínima anual.

Este é um dos poucos seguros que contempla qualquer pessoa que se envolva em um situação do trânsito, desde o próprio motorista aos pedestres.

As categorias de indenização do DPVAT se dividem em despesas médicas e danos pessoais, podendo chegar a até R$13.500 em caso de falecimento da vítima, valor que deve ser pago aos parentes.

Como você pôde ver, o DPVAT é muito importante para quem não pode cumprir com um seguro privado e por isso, quem estava se preocupando com o pagamento do valor DPVAT 2020se deparou com a suspensão do mesmo.

O Presidente Jair Bolsonaro decretou a suspensão provisória do DPVAT, com o intuito de extinguí-lo completamente em pouco tempo. Mas o que poderia justificar essa ação?

Bem, de acordo com dados do Governo, o seguro DPVAT custa bilhões aos cofres públicos anualmente e os recentes gastos precisavam ser ampliados para modificar esses números.

O próprio Governo indicou uma despesa de R$ 8,9 bilhões em média. Entretanto, é interessante mencionar que todo esse valor não é passado diretamente para as vítimas.

O sistema revela que cerca de R$ 4,7 bilhões estão sendo destinados a administração dos recursos responsáveis pelo funcionamento do DPVAT.

O problema é que o sistema do seguro obrigatório está diretamente ligado ao Sistema único de Saúde (SUS), responsável por prestar atendimento às vítimas de acidente de trânsito.

Por isso, o corte estará atingindo diretamente também a verba do SUS, um sistema qaue já se encontrava em situação precária há algum tempo e tende a piorar depois deste corte.

Mas de acordo com os líderes, o sistema ainda será responsável por atender esse púbico, assim como por prestar atendimento nacional para qualquer brasileiro que possua cadastro no Sistema Único de Saúde.

A medida estará entrando em vigor em 2020, como declarou Jair Bolsonaro em nota, tendo assinado também o fim Seguro de Danos Pessoais Causados por Embarcações, destinado a pessoas que lidam com esse tipo de serviço.

Qual o papel da Ordem dos Advogados no Brasil?

Quem tem alguma relação com a área de Direito, provavelmente já ouviu falar na Ordem dos Advogados do Brasil, uma instituição muito importante para esse setor. Mas qual é a real finalidade dessa instituição? Para entender o papel da OAB no país e esclarecer outras dúvidas.

O que é a Ordem dos Advogados?

Para seguir a carreira na área de Direito no Brasil, não basta apenas concluir a graduação. Além do diploma, o estudante precisa ser aprovado pela Ordem de Advogados do Brasil.

Ao longo da história, ficou bem clara para o setor jurídico a necessidade de se criar um instituto responsável pelo regimento da Constituição brasileira.

Assim, a Ordem dos Advogados passou a ser responsável por garantir a qualificação dos profissionais da área a partir de uma avaliação: a prova da OAB.

Todos os anos, a instituição lança o exame e os estudantes que desejam participar precisam estar atentos ao calendário OAB e verificar as informações sobre a sua prova.

A prova da OAB proporciona a licença para exercer as funções jurídicas e sem a mesma, a atuação do profissional se torna ilegal, podendo gerar consequências.

Qual o objetivo?

É importante afirmar que a Ordem dos Advogados está distribuída por todos os estados do país, sendo capaz de exercer os seus objetivos de forma justa. Além disso, a OAB se divide em algumas categorias de assistência. São elas:

  • Conselho Federal;
  • Conselhos Seccionais;
  • Subseções;
  • Caixas de Assistência dos Advogados.

Essas divisões atuam para garantir que a Constituição seja respeitada e que os profissionais da área tenham a aptidão necessária para atuar, já que é um documento necessário.

Além disso, a OAB também é a instituição que representa a classe dos advogados, sendo também o órgão responsável pela fiscalização do trabalho dos bacharéis em Direito.

Como funciona a prova?

Como você pôde conferir, a OAB é a instituição pela qual se realiza a prova que legitima a atuação dos bacharéis em Direito no país. Sendo assim, será através da instituição que o estudantes poderão se inscrever para o exame.

Vale mencionar que a prova da OAB se divide em duas fases: a primeira etapa se trata de questões objetivas, de múltipla escolha, enquanto a segunda de questões subjetivas, na qual o candidato precisa solucionar um problema.

O estudante pode acompanhar todo o processo da prova, desde a divulgação do local de prova até o lançamento do gabarito no site oficial da Ordem dos Advogados.

Curso de Administração: Concorrência, Bolsas, SISU

A área de Administração é uma das mais procuradas do mercado e quem pensa em seguir esta carreira, deve se informar bastante sobre o curso. Afinal, como cursar? Este é um curso concorrido? Será que você pode conseguir uma bolsa de estudos? Para esclarecer essas e outras dúvidas acerca da graduação, confia as informações a seguir:

Como funciona o curso de Administração?

O curso de Administração é uma das formações que mais possuem estudantes no país, isto porque, o seu leque é bem extenso e promove um bom índice de empregabilidade.

Você pode encontrar o curso em várias modalidades, entretanto, as mais procuradas do mercado são o ensino técnico e o ensino superior.

O técnico dura em média dois anos e tem seu foco voltado para a prática. Enquanto isso, a graduação dura cerca de 4 anos e possui ua maior visibilidade de conteúdos.

O curso é concorrido?

Como mencionado, o curso de Administração possui muitos estudantes e por isso, é normal de perguntar se esta é uma graduação concorrida.

De acordo com as notas divulgadas por programas como o Sisu e o Prouni, o curso de ADM tem uma concorrência moderada, podendo ser maior em alguns estados do país.

Por outro lado, o que podemos afirmar é que mesmo muitas pessoas se interessando em cursar essa fomraão, existe uma quantidade equivalente de oportunidades para isso.

Saiba mais em: https://educamaisbrasil2020.inf.br/

É possível conseguir bolsas?

Como o curso de Administração é um dos mais procurados, a graduação está sempre inclusa em programas que promovem a distribuição de bolsas.

Portanto, o estudante pode sim conseguir bolsa de estudo e existem muitas opções acessíveis. Você pode, por exemplo, se candidatar para uma bolsa através do Neora Bolsaspossibilitada pelo Educa Mais Brasil.

Uma outra opção é acessar programas como o Quero Bolsa, que funciona de forma bem parecida com o Educa Mais Brasil, no qual você pode conseguir desconto de até 70% em suas mensalidades.

Posso conseguir minha bolsa pelo Sisu?

O Sistema de Seleção Unificada é o programa oficial pelo qual os candidatos que participaram do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) podem conseguir ingressar nas instituições federais.

Todos os anos, o programa oferta bolsas de estudo para o curso de Administração e por isso, os estudantes interessados na área podem sim utilizar o Sisu para começar a estudar.

Mas vale mencionar que para se inscrever no programa, o estudante deverá possuir nota superior a 450 pontos no Enem e não pode ter zerado a prova de redação.

10 dicas para organizar sua vida financeira

O aspecto financeiro é muito relevante para a sua própria organização pessoal, além de interferir diretamente com outras áreas da sua vida. Para muitas pessoas, ter um controle de suas finanças ainda é um grande desafio, por isso vamos ajudar você com algumas dicas de gerenciamento e administração simplificadas para a sua vida financeira.

Quer mudar o seu planejamento de gastos e começar a investir em seus próprios projetos? Então leia o texto a seguir e veja 10 dicas para organizar a sua vida financeira:

1. Pesquise sobre educação financeira

Você sabia que existem cursos, inclusive na modalidade de ensino a distância, sobre educação financeira? Este pode ser um ponto inicial interessante para você, então comece estudando um pouco a área.

2. Saiba utilizar seu dinheiro extra

Durante o ano, o trabalhador brasileiro irá receber duas parcelas referentes ao décimo terceiro salário. Também há uma grande expectativa sobre o reajuste do salário mínimo 2020então saiba direcionar os valores extras.

3. Pense no dinheiro para o futuro

Instalar novas maneiras de administrar o seu dinheiro exige paciência, pois trata-se de um processo lento. Então comece a pensar no su rendimento a longo prazo e aplique pequenas mudanças, que em breve darão um bom resultado!

4. Invista a longo prazo

Como mencionado, todo o processo de educação financeira irá exigir um pouco de paciência e isto estará relacionado também ao próprio investimento. Quando estiver mais familiarizado com á área da economia, buque por opções de investimento a longo prazo.

5. Evite o cartão de crédito

O cartão de crédito é o verdadeiro inimigo de quem quer poupar dinheiro, pois estará sempre comprometendo uma porcentagem do seu dinheiro todo o mês.

6. Leve tudo para o lápis

Essa é uma das dicas mais simples, entretanto, difícil de ser praticada com a correira e as diversas atividades do dia a dia. O ideal. é que você tenha sempre um caderno ou um celular a mão para anotar todos os seus gastos.

7. Estabeleça prioridades de gastos

Diferente do que muitos pensam, educação financeira não tem a ver com não gastar dinheiro, mas sim com saber gastar o seu dinheiro. Por isso, estabeleça prioridades mensais que precisam ser cumpridas.

8. Pesquise antes de comprar

Nós somos diariamente induzidos a comprar por impulso, então a dica é que você pesquise e pense bastante antes de fazer uma compra considerável.

9. Utilize cupons

Você sabia que existem aplicativos que disponibilizam diversos tipos de cupons de desconto? Você pode utilizar para a compra de serviços assim como para o desconto no restaurante.

10. Compre a atacado

Esta dica é interessante, principalmente para quem faz grandes compras mensais. O valor do atacado é muito mais em conta e pode dispensar as idas constantes ao mercado.

Quais os principais custos a serem considerados pelos proprietários de veículos

Está pensando em comprar um carro? Além da compra do veículo, o proprietário deve estar atento para alguns outros gastos necessários. Por isso, estabeleça bem o seu orçamento e saiba quais os custos que devem estar presente nos seus cálculos. Entenda a seguir:

Licenciamento

Vamos começar falando do licenciamento do seu veículo. Para os possíveis proprietários, é preciso possuir o licenciamento 2020, que é um documento oficial necessário para comprovar a aptidão legal do veículo para circular.

Este documento é obrigatório para todo motorista e deve ser solicitado anualmente a partir de uma taxa. Por isso, o valor do licenciamento 2020 deve ser incluso nos seus gastos para este ano, caso queira assinar os documentos para comprar o seu arro.

DPVAT

O DPVAT também é um valor obrigatório para os proprietários de veículos, mas diferente do licenciamento, esta taxa é estabelecida para proporcionar o seguro do Detran para o motorista.

O valor deve ser pago anualmente para todas as categorias de motoristas. Em 2019, o valor cobrado para proprietários de motocicletas foi de R$ 80,11, enquanto para os carros particulares foi de R$16,21.

IPVA

Ainda em relação aos impostos obrigatórios, temos o valor mais caro entre eles: o IPVA. A sigla é referente ao Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores.

O valor é referente a uma taxa estadual, por isso, pode variar bastante dependendo da região em que você mora. Para o Rio e para São Paulo, a porcentagem cobrada é de 4% sobre o valor original do veículo.

Manutenção

A manutenção não é um gasto obrigatório e nem constante, mas é fundamental para manter o seu veículo valorizado e acabar tendo um gasto maior depois. A visita ao mecânico pode sair em média, se for apenas uma vistoria, aproximadamente R$100.

É recomendado dar uma checada no seu veículo periodicamente, desde o óleo até a calibragem dos pneus. Caso haja algum problema, o preço do conserto e da troca de peças irá depender do modelo do carro ou da moto.

Combustível

O combustível será um gasto constante e nem todos os motoristas consideram a despesa mensal com esse recurso. Como você já deve saber, o preço da gasolina tem estado alto, chegando a custar quase R$4,85 em alguns estados.

Uma boa dica é optar por veículos que possam ser abastecidos tanto por gasolina quanto por etanol, já que esta segunda opção é bem mais em conta. Assim os gastos mensais ficam mais acessíveis para o motorista.

O que acontece quando o motorista atinge 20 pontos na carteira

O trânsito é regido por leis bastante específicas criadas para garantir o bom funcionamento do trânsito e segurança para motoristas, passageiros e pedestres. Quando deixa de cumprir com essas leis, o motorista fica sujeito a receber aplicação de pontos em sua carteira, referentes as infrações cometidas.

O número máximo de pontos que se pode ter na carteira é de 20 pontos, mas o que será que acontece quando essa pontuação é atingida?

Em primeiro lugar, é preciso entender que as infrações de trânsito são divididas em categoria, sendo elas de teor leve, médio, grave gravíssimo.

Cada uma dessas infrações pode gerar uma pontuação diferente para a carteira. E nem todos os motoristas sabem como cada categoria é aplicada.

É importante entender como a distribuição de pontos na careteira funciona para evitar que você atinja o número máximo permitido e acabe sofrendo as consequências por parte do Detran.

Infrações leves e médias

Vamos começar falando das infrações leves e médias. Essas são mais comuns, de teor mais brando mas que mesmo assim, podem render punição para o infrator. Há a possibilidade do motorista recorrer a cobrança de multas efetuadas a partir dessas infrações, desde que ele não tenha sido autuado pela mesma situação em um período de doze meses.

As situações rendem a partir de 3 pontos na carteira e são referentes a: dirigir de maneira desatenciosa ou perigosa no trânsito, estacionar de maneira afastada do meio-fio, parar o carro na faixa de pedestres, entre outros.

Infrações graves e gravíssimas

Nestes tipos de infração, é mais difícil o motorista conseuir os recursos para anular as cobranças. As multas aplicadas também são mais caras e os pontos na carteira são a partir de 7.

Uma das situações mais comuns, como indica o IPVA SPé ser autuado com o licenciamento do veículo atrasado por não cumprimento de impostos obrigatórios para os proprietários de veículos.

Pontuação máxima na carteira

Vale lembrar que mesmo quando as infrações são leves e médias, o acumulo delas pode rendar uma baita dor de cabeça para o motorista.

Quando atinge a pontuação máxima de pontos na carteira, o infrator tem a sua licença suspensa e dependendo da situação pode até perder o direito de dirigir.

Além disso, ainda há a cobrança de multas que devem ser cumpridas dentro do prazo. Do contrário, poderão render um grande acréscimo de juros e até a apreensão do veículo para situações excepcionais.

FONTE: https://ipva2020.pro.br/ipva-2020/

Entenda o que faz um engenheiro ambiental

A engenharia é uma área muito ampla que se divide em algumas categorias. Uma delas é a engenharia ambiental, área que tem ficado cada vez mais popular no mercado de trabalho. Mas o que faz este profissional? Se está pensando em fazer um curso de engenharia, leia o texto a seguir e entenda a atuação deste profissional.

O que faz um engenheiro ambiental?

O engenheiro ambiental precisa estar presente em uma construção, pois dispõe de muitas responsabilidades. Será este profissional encarregado de avaliar e promover a proteção do ambiente e da vida humana.

Será o engenheiro ambiental que irá propor a melhor solução para o descarte correto de material, tratamento da água, controle da poluição dor, entre outros. A função deste cargo é de elaborar os projetos mais funcionais.

O engenheiro ambiental pode ser responsável, tanto na teoria como na prática, por avaliação e elaboração dos sistemas de abastecimento de água e tratamento de esgoto. No geral, pode exercer seu cargo nas áreas de saneamento ambiental.

Onde pode atuar?

A possibilidade de atuação do engenheiro ambiental é muito amplo. Ele pode trabalhar no setor industrial das empresas, assim também como em consultoria em ambientes diferentes. Além disso, também pode atuar em instituições e ONGs, assim como para instituições privadas e públicas.

Sua atuação vai desde o projetar os sistemas a participar da evolução dos projetos em seu ambiente de trabalho. Geralmente, este profissional exerce suas funções em equipe para que possam aprovar o melhor projeto com as melhores soluções.

Quanto recebe?

A engenharia ambiental tem sido uma área muito procurada para quem está começando uma formação. A remuneração para o profissional da área pode variar muito de um estado para o outro.

O maior registro salarial para o engenheiro ambiental formado está presente em Santa Catarina, chegando a ser superior a R$ 6 mil. A média para o cargo no país é de R$4 mil.

Como se tornar um engenheiro ambiental?

Para se tornar um engenheiro ambiental, é necessário cursar uma formação a nível superior. Existem diversas instituições com boa avaliação pelo MEC  que oferecem bolsas de estudo para você. É possível começar a estudar com bolsa de estudo integral ou parcial através do Prouni.

O curso também é ofertado no ensino público e para garantir a sua vaga, é preciso participar do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), para inscrever a sua nota no Sisu. Para garantir a sua vaga, você deve possuir nota superior a nota de corte do curso de engenharia ambiental.

Juris Ambiental: Cuidando da lei e do meio ambiente

O meio ambiente representa um conjunto de séries vivos, como as plantas e os animais. Este ecossistema funciona de maneira perfeita, mas não possuem voz para se defender.

Atualmente, grande parte do meio ambiente já foi prejudicado pela ação do homem, espécies entraram em extinção e diversas outras ficaram sem moradia. Então, como esta situação pode ser revertida?

Bem, você sabia que existem diversas leis ambientais que funcionam a favor do meio ambientes a fim de protegê-lo e preservá-lo? Cada país pode possuir suas próprias cláusulas em defesa do meio ambiente e o Brasil não é diferente!

O problema é que nem todo mundo conhece estas leis brasileiras tão importantes. Quanto mais pessoas compreenderem  a causa do meio ambiente através das leis ambientais, mais espécies podem ser salvas e mais áreas preservadas, como prevê a Lei da Área de Proteção Ambiental, Lei de Crimes Ambientais e a Lei da Fauna Silvestre.

Existem cerca de 17 leis brasileiras fundamentais que você precisa conhecer a fundo e por isso, o site Juris ambiental vai trazer o melhor conteúdo para informar você. O meio ambiente é um assunto muito sério e ao acompanhar o site você vai poder compreender com clareza assuntos jurídicos e ambientais!